A empresa

:: Contato

:: Galeria de Fotos

:: Onde estamos

:: Página Principal

:: Quem somos

:: Serviços

Divulgações

:: Esportes

:: Fotos de corridas

:: Galeria de Fotos

:: Reflexões

Equipamentos digitais

:: DVD Players

:: HDTV

:: Plasma e LCD

:: TV Digital

Informática

:: Downloads

:: Drivers

:: E-commerce

Serviços

:: Atualidade

:: Cursos e Manuais

:: Dicas

:: Eletrônica Básica

:: Informática

:: Monitores

:: Produtos

:: Reforma de alto falantes

:: Sonorização

Vídeos sobre sonorização:


Fabricando alto falante

Som - equalização

Som automotivo

Home Theater

Para maiores informções acesse os sites abaixo, pois estes também contém informações seguras e de qualidade.

www.musicaeadoracao.com.br/tecnicos/sonorizacao
www.audiolist.org
www.somaovivo.mus.br

Muitos aparelhos de som, principalmentes potências e receivers são danificados por falta de observação nos procedimentos de ligações de alto-falantes, caixas de som em suas saídas, nas conexões padrões e nas fiações.

Nesta página vamos ensinar aos nossos clientes como ligar um equipamento de som de maneira correta, dentro dos padrões técnicos desde a fonte de sinal, ou seja, um microfone ou qualquer outro instrumento, conectando-se na mesa de mixagem fazendo os devidos ajustes, entrando no pré-amplificador ou no equalizador, também com os devidos ajustes, chegando ao amplificador de potência e depois nas caixas de som observando as ligaçõess adequadas para compatibilizar o casamento de sinais da saída da potência de acordo com o número de caixas e a impedância dos alto-falantes.

Ensinaremos a ligar os alto-falantes de acordo com as vias de sinais de áudio correspondentes aos sons graves, médios, agudos, woofer e surround, falaremos sobre a localização de cada caixa de som.

Vamos dar o significado de temos técnicos como potência, frequência, impedância e muito mais.

Não adianta você ter em casa um som de alta fidelidade como um "home theater" conectado a um dvd se você não sabe utilizar todos os recursos de som que este aparelho pode te oferecer.

Com nossas orientações, qualquer pessoa, até uma criança saberá¡ fazer todas as ligações de um equipamento de som de alta-fidelidade usufruindo de todos os recursos de qualidade e fidelidade sem danificar o aparelho.

APOSTILAS E CURSOS DE SONORIZAÇÃO - PARA BAIXAR - CLIQUE AQUI

Seqüência do sinal de áudio:

Fonte de sinal: Ex: voz (microfone), instrumentos musicais, computadores, gravadores, CD player, DVD, MD, etc.

*Verificar os cabeamentos específicos para cada tipo de sinal. Conectores e jacks também específicos para cada tipo de sinal. Existem padrões a serem observados.

*Verifique a compatibilidade em níveis de sinais e impedâncias de saídas e entradas.

*Observar o ambiente acústico, posição e localização das caixas de som.

APARELHOS:

MICROFONE: É um transdutor responsável por captar a onda sonora e a transformá-la em sinais elétricos.

Mesa de som ou consoles: Mixagens dos sinais de entradas, ganhos, controle de graves, médios e agudos, pré-amplificação, processadores de efeitos, endereçamento dos sinais para as devidas saídas.

Equalizadores gráficos e paramétricos: Acertam a reposta das caixas e eventualmente reduzem as freqüências que estejam sobrando na conjuntura captação, projeção e acústica do ambiente. Tipo de equalização: peaking, shelving, semi-paramétricos e paramétricos.

CROSSOVER: Não existe um alto-falante capaz de reproduzir adequadamente toda a faixa audível de sinal ( 20hz a 20khz ), especialmente em nível de pressão sonora. Como as exigências de projeto dos transdutores ( alto-falantes ) de altas ( tweeter ), médias (driver ) e baixas freqüências ( woofers ) são conflitantes, costuma-se dividir a faixa de áudio em duas ou mais partes e usar transdutores otimizados para cada uma delas. Por outro lado, o envio de sinais fora da faixa adequada a um alto-falante só irá produzir calor e distorção, aumentando a possibilidade de danos ao mesmo.
Caberá ao crossover (divisor de freqüência ) a separação dos sinais a serem enviados a cada alto-falante. Portanto, crossover ou divisor de freqüência são filtros elétricos que separam os sinais a serem enviados a cada transdutor em função de sua freqüência: grave, médio, agudo.
Podem ser passivos ou ativos. Os passivos recebem sinal de um amplificador com ampla faixa e a dividem dentro da própria caixa acústica. Os ativos fazem o mesmo trabalho, porém no sinal de áudio que será entregue a amplificadores para os diversos canais (amplificadores para cada faixa de freqüência): grave, médio, agudo.

COMPRESSOR: Comprime os picos sonoros evitando que sejam amplificados. Muitos amplificadores queimam devido a um pico rápido de sinal além da sua capacidade. O compressor é ajustado para comprimir, cortar estes picos de sinais.

LIMITADOR: O limitador pode ser usado para proteger caixas acústicas dos estalos e “tiros” dos cabos. O limitador é um compressor que, de tanto comprimir acaba limitando.

EXPANSOR: Pegar sinais muito baixos e aumentá-los para dentro de um nível pré-estabelecido.

GATE: É um equipamento destinado a deixar ou não passar o sinal de áudio, ou seja, é uma porta. Esta porta se abre ou não para deixar o sinal passar ou não. É utilizado para cortar ruídos de fundo ou mesmo diminuir o tempo de ressonância de um instrumento.

PROCESSADOR DE ÁUDIO DIGITAL: Aparelho que substitui o compressor, expansor, gate, limitador.

GERENCIADOR DE ALTO-FALANTES (DIGITAL): Substitui o crossover e possuem várias outras funções.

PROCESSADOR DE EFEITOS (DIGITAL): Quando falamos em processadores dinâmicos tratamos de equipamentos que tratam o sinal de áudio. Já os processadores de efeito alteram o sinal de áudio para criar uma nova sonoridade que pode ser utilizada só ou adicionada ao sinal principal.
Podemos ter, por exemplo, o sinal de uma voz processado por um reverberador e adicionado ao sinal direto, sem efeito, desta voz novamente. Tudo depende do objetivo a ser alcançado quando se utiliza um processador de efeitos. Os processadores podem ser analógicos ou digitais.

CONSOLES DIGITAL: Substitui diversos aparelhos, possui maior número de recursos para sonorização ao vivo e gravação, memória para diversas cenas, poder de processamento, transferência de arquivos a longa distância, automação.

AMPLIFICADORES: A reprodução sonora por meio de caixas acústicas, em grandes ambientes, exige maior potência e é aí que entra os amplificadores, que recebem sinais de outros equipamentos tais como consoles de mixagem, equalizadores, crossover, etc, e os transforma em sinal de alta potência para estimular os alto-falantes das caixas acústicas.

AMPLIFICADORES DSP (DIGITAL SIGNAL PROCESSOR):
Com todas as ferramentas necessárias para alinhamento de caixas acústicas, equalizadores paramétricos, filtros para corte de freqüências, ajuste de delay, inversão de polaridade e limiter, controlados por software.

CAIXAS ACÚSTICAS: O alto-falante serve para transformar um sinal elétrico em pressão sonora. Ele é chamado de transdutor ou conversor. Um transdutor é um dispositivo que converte um tipo de energia em outro. O alto-falante converte energia elétrica em energia mecânica que depois é convertida em energia sonora. Logo, a função do alto-falante é transmitir uma mensagem, transformando um sinal elétrico em som. Compõe também as caixas acústicas: Tweeter (reproduzir os sons agudos), Driver com cornetas (reproduzir os sons médios), Woofers (reproduzir sons graves).

A eletrônica digital está revolucionando também aparelhos e sistemas de som. Automação, armazenamentos de dados, controles computadorizados e vários outros recursos digitais no controle do sinal de áudio. A cada ano são lançados novos equipamentos digitais substituindo os analógicos.
Um único aparelho digital consegue substituir vários analógicos e assim deixando de lado aquele enorme e pesado rack.
O técnico de som deverá estar permanentemente acompanhando estas evoluções para estar sempre atualizado no mercado de áudio.

Breve darei exemplo dos últimos lançamentos na linha de áudio.

 

Márcio de Carvalho Ferreira
Técnico Gerente

Assistência Técnica Especializada e Comércio